REGULAMENTO da CORRIDA de ORIENTAÇÃO 

  Artigo 1º – RGOP:

A Competição de Orientação seguirá as Regras Gerais de Orientação Pedestre da CBO (RGOP/CBO), sendo coordenado administrativamente e tecnicamente será de responsabilidade da ORIESC. 

A capacitação de seus atletas e quadro técnico de cada equipe é de responsabilidade das Instituições de Segurança Pública.

Os casos omissos serão analisados e resolvidos pela Comissão de Organização do JOBIS e a Federação Catarinense de Orientação.

Artigo 2º –  A competição será coordenada e gerenciada por:

Diretor Geral:

Árbitro Geral:

Árbitro Técnico:

Árbitro de Partida:

Árbitro de Chegada:

Árbitro de Apuração:

Equipe de Saúde/Ambulância: Médico:

Enfermeiro/Socorrista:                     Motorista:

Artigo 3º – DAS CATEGORIAS

Homens / Categoria  Idade Damas/Categoria idade
H ABSOLUTO até 39 anos D ABSOLUTO até 39 anos
H MASTER de 40 a 49 anos D MASTER de 40 a 49 anos
H VETERANO Acima de 50 anos D VETERENO Acima de 50 anos

Parágrafo único: A corrida de Orientação estará limitada a 250 (duzentos e cinquenta competidores, considerando o somatório de todas as categorias)

 Artigo 4º – DOS PERCURSOS

O Traçador de Percursos deverá montar 06 (seis) Percursos, observando a ordem crescente dos grupos dentro dos respectivos graus de dificuldade, variando apenas a distância, conforme representado no quadro a seguir:  

Percurso Categorias Distância Tempo
A1 H Aberto 5/6 Km 50 / 60 min.
A2 D Aberto 5/6 Km 50 / 60 min.
A3 H Master 4/5 Km 40 / 50 min.
A4 D Master 4/5 Km 40/ 50 min.
A5 H Veterano 3/ 4 Km 40 / 50 min.
A6 D Veterano 3/ 4 Km 40 / 50 min.

É responsabilidade dos dirigentes das Instituições de Segurança Pública a adequada distribuição e inscrição dos atletas nas categorias disputadas, tanto técnica como física.

Artigo 5º – DOS MAPAS

Os mapas deverão ser desenhados de acordo com as orientações descritas nas Especificações Internacionais para Mapas de Orientação da IOF (ISOM/2000 e ISSOM/2007).

Os mapas serão impressos nas escalas 1:10000 ou 1:7500, de acordo com as categorias e grau de dificuldades.

Os mapas serão impressos em offset a quatro cores (CMYK – consultar a ISOM/2000).

As categorias de cada percurso deverão ser impressas no espaço reservado no cartão de descrição, nos mesmos moldes dos eventos nacionais.

Os mapas deverão ser plastificados de forma que a folha fique fixa no interior do plástico e deverá estar selado (ou fechado) de forma que facilite a sua dobradura;  

Artigo 6º – DOS CARTÕES DE DESCRIÇÃO

A simbologia do cartão de descrição deverá estar de acordo com as Especificações Internacionais para o Cartão de Descrição (ISCD), editado pela IOF em janeiro de 2004.

O cartão de descrição deverá ser impresso obrigatoriamente no mapa.

Na partida, deverá ser distribuído para todas as categorias, uma cópia do cartão de descrição, idêntica ao impresso no mapa, impresso a laser ou fotocópia na cor preta. Este cartão é para a utilização no suporte de braço, o qual deverá ter um tamanho que facilite sua leitura em movimento.    

Artigo 7º – DOS PRISMAS E BASES ELETRÔNICAS

Deverá ser cumprido rigorosamente o disposto da regra 98 à regra 112 das RGOP/CBO, no que diz respeito à escolha dos pontos de controle e colocação dos prismas no terreno.

Em locais críticos tais como próximo a estradas e residências, deverá ser colocado um fiscal no ponto de controle, para que pessoas estranhas ao evento não retirem o prisma do local.

Para maior segurança na montagem dos percursos, sugere-se ainda a colocação de confetes com o número da base em todos os pontos de controle.

No último ponto de controle e nos pontos onde passam várias categorias, deverão ser colocados dois picotadores / bases para não prejudicar os atletas com perda de tempo.  

Artigo 8º – DA PARTIDA

O horário de partida para os primeiros atletas dos JOBIS será às 09:00h, o qual será informado no boletim informativo da competição (5 dias antes da data).

A ordem de partida será organizada por sorteio. O controle dos horários de partida é de responsabilidade do Arbitro Geral e do Arbitro da Partida da competição.

Os atletas que chegarem atrasados no horário da partida não terão seus tempos alterados.

Deverão ser observadas as regras 132 e 134 das RGOP/CBO, no constante ao triângulo de partida, o qual deverá estar materializado no terreno por um prisma com um triângulo desenhado no lugar do número e o acidente representado no cartão de descrição. Todo o itinerário da partida até triângulo estará balizado de ambos os lados, o qual deverá ser seguido obrigatoriamente pelos atletas.

Caso a partida seja montada a uma distância considerável da área de concentração, deverá ser montado um posto de água potável para hidratação dos atletas nas proximidades da mesma.

O Arbitro Geral da competição e o Arbitro da partida deverão utilizar a Súmula de Partida (Apêndice 1) para registros.

O dispositivo da partida deverá ser montado de acordo com as diretrizes da competição (Apêndice 2).

Artigo 9º – DA CHEGADA

O tempo deverá ser cronometrado quando o atleta conectar o SI-Card na base de leitura da chegada.

Após a chegada, os atletas deverão realizar de imediato a leitura o SI-Card.

Haverá água e frutas disponíveis para todos os atletas.

Deverá ser instalado um posto médico com ambulância, o qual deve estar em condições de prestar socorro de imediato aos atletas que venham a sofrer algum tipo de acidente, assim como realizar a rápida evacuação para casa hospitalar quando necessário.

O Arbitro Geral da competição e o Arbitro da Chegada deverão utilizar a Súmula de Chegada (Apêndice 3) para registros.

O dispositivo da chegada deverá ser montado de acordo com as diretrizes da competição (Apêndice 4).  

Artigo 10 – DOS SISTEMAS DE APURAÇÃO

A competição será com bases de leitura (SI-Card) e sistema eletrônico de apuração.

O Arbitro Geral da competição deverá orientar o Arbitro da Chegada para que providencie a cronometragem convencional dos tempos de todos os atletas (backup), de forma a garantir a apuração justa dos resultados em quaisquer circunstâncias, utilizando a Súmula de Chegada para registro manual dos tempos, conforme descrito Art. 8º.

Artigo 11 – DA CLASSSIFICAÇÃO E O RESULTADO FINAL

A Classificação individual será do atleta melhor classificado em cada categoria disputada.

No caso de dois ou mais atletas da mesma categoria obter o mesmo tempo de competição fica a critério da Comissão de Organização dos JOBIS solucionar o desempate e classificação.

O resultado final da competição será oficializado por ocasião da apresentação do Relatório da Competição pelo Diretor Técnico da competição a Organização dos JOBIS.  

Artigo 12 – DA PREMIAÇÃO

Sob responsabilidade da Comissão de Organização dos JOBIS, dentro de cada Categoria Homens e Damas serão premiados com medalhas até o 3º lugar.  

Art. 13 – A qualquer época, a Coordenação Nacional dos Jogos – caso considere importante – acrescentará novas instruções visando esclarecer dúvidas e assegurar o bom andamento do  Campeonato.

Art.  –   

Art. 15 – Os casos omissos neste Regulamento ou que venham a gerar dúvidas de interpretação serão resolvidos pelo CNJ.

2 Comentários

  • anderson machado padilha Reply

    não fazer uma categoria específica para policiais que são efetivamente profissionais da segurança pública é um desestimulo, forças armadas tem os atletas de alto desempenho que viajam o mundo competindo orientação, é lamentável.

    • Organização JOBIS Reply

      Olá Senhor Anderson,
      Essa é nossa primeira edição. Temos a intenção de acatar todas solicitações vindas dos participantes nessa edição, e aprimorar o evento em edições futuras.

      Atenciosamente,
      Equipe JOBIS.

Deixe um comentário